Miniatletismo nas escolas

Adicionada em 23 de fevereiro de 2012

O recém-eleito presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), José Antonio Martins Fernandes, propõe modalidades a mais que o futsal, basquete e handebol nas aulas de educação física nas escolas brasileiras.
O presidente declarou ao jornal Folha de S.Paulo requisitar uma reunião com o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante e com líderes esportivos para discutir a inclusão do atletismo nas escolas. O encontro teria o objetivo de apresentar um diagnóstico do atletismo e mostrar as perspectivas de desenvolvimento do atletismo no país.
De acordo com Fernandes, “o atletismo é um esporte base, que representa todos os outros esportes. Podemos introduzir o miniatletismo nas escolas. Não é utópico, não é nada do outro mundo, e poderia dar avanço muito rápido à educação física no Brasil”.
O presidente da CBAt, que assume apenas em 2013 para ocupar o cargo até 2016 – ano em que o país sediará as olímpiadas, definiu o “miniatletismo” como uma versão das modalidades esportivas adaptadas às condições específicas das escolas. Ou seja, nenhuma escola precisaria uma pista de atletismo para a introdução do esporte, pois se utilizariam de outros materiais para simular uma pista de corrida.
Como já é realizado em outros países, a medida espera fortalecer a base dos esportes, visando um crescimento a longo prazo dos esportistas brasileiros.